AJUDA AO RS

Entidades do agronegócio fazem campanhas para ajudar o povo gaúcho. Saiba como participar!

Agropolítica

Congresso Nacional retorna com pautas do Agro ainda pendentes

Pesticidas, Reforma Tributária, bioinsumos e desoneração da folha são algumas das pautas em discussão

3 minutos de leitura

07/02/2024 | 18:15

Por: Daumildo Júnior | daumildo.junior@estadao.com

Plenário da Câmara dos Deputados durante sessão solene destinada a inaugurar a 2ª Sessão Legislativa Ordinária da 57ª Legislatura.
Temas já vem sendo debatidos desde 2023. Foto: Jonas Pereira/Agência Senado

Novo ano, mas antigas pautas. Nesta semana, teve início o ano Legislativo de 2024 e com ele as pautas do Agro que estavam paradas no Congresso retornam ao centro dos debates. 

O Agro Estadão reuniu alguns temas relacionados ao setor e que devem ser retomados neste ano. 

Veto aos pesticidas 

No apagar das luzes de 2023, o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, aprovou com vetos a chamada lei dos agrotóxicos. A nova regra encurta prazos de validação dos defensivos agrícolas e também trata da comercialização desses produtos. 

Entre os trechos vetados está o que deixa a aprovação dos agroquímicos apenas com o Ministério da Agricultura e Pecuária. Além disso, o presidente vetou a permissão prevista de conceder o registro de produtos que têm o ingrediente em fase de reanálise pendente de conclusão. 

Ao todo, 17 dispositivos foram vetados na Lei 14.785, de 2023. A FPA (Frente Parlamentar da Agropecuária) se manifestou contrária às suspensões e vai trabalhar para derrubá-las. Ainda não há uma data marcada para a análise pelo Congresso Nacional.

Uma partida com mais de 90 minutos 

Outra das pautas do Agro que vem desde 2023 é a desoneração da folha de pagamento. A Lei 14.784, de 2023, prorroga por mais quatro anos o incentivo fiscal para empresas de 17 setores, entre eles, o setor de proteína animal e o de couro. 

Antes de entrar em vigência, o projeto aprovado pelos parlamentares foi vetado integralmente pelo presidente Lula. Depois senadores e deputados derrubaram o veto. No entanto, a discussão ganhou novos rumos quando o governo editou uma Medida Provisória (MP) que suspende a lei da desoneração a partir de abril de 2024, colocando uma reoneração gradual a partir desse mês. 

Na prática, o tema ganhou mais meses de debate entre Executivo e Legislativo. Congressistas da FPA pedem a devolução da MP ao governo. 

Pauta agroambiental 

A temática agroambiental é outra que deve ganhar mais espaço entre os parlamentares. O projeto de lei 2.159/2021 tramita simultaneamente na Comissão de Meio Ambiente (CMA) e na Comissão de Agricultura (CRA), ambas do Senado. Em dezembro, ela foi pautada na CMA e depois retirada.

O diretor-executivo da Aprosoja Brasil (Associação Brasileira dos Produtores de Soja), Fabrício Rosa, ressaltou a importância dessa medida. “O povo brasileiro não pode mais ter negado o desenvolvimento sustentável do país, pela falta de uma legislação que estabeleça processos claros, seguros, mas com prazos razoáveis de liberação de licenças ambientais”.  

Depois do alicerce, as colunas, vigas e paredes

A reforma tributária é também uma das pautas do Agro e trouxe grandes avanços ao setor. No entanto, leis complementares e outras definições e esclarecimentos estão pendentes. É o caso, por exemplo, dos produtos que comporão a cesta básica, já que eles terão alíquotas reduzidas. 

Na primeira sessão do plenário do Senado, o presidente da Casa e do Congresso Nacional, senador Rodrigo Pacheco (PSD-MG), falou que a prioridade do primeiro semestre é a regulamentação da reforma. “Agora nos cabe promover as leis complementares, as leis infraconstitucionais, para podermos tornar efetiva a reforma tributária no Brasil”, disse. 

Bioinsumos

Pelo menos duas propostas de regulamentação dos bioinsumos aguardam votação na Câmara dos Deputados. O projeto de lei 3.668/2021 foi aprovado pelo Senado no ano passado, mas está pendente de aprovação para ser apensado – tramitar em conjunto – ao projeto 658/2021

Na visão do diretor-executivo da Aprosoja, o país não pode perder a oportunidade e ressalta que o Brasil é um dos países “onde mais cresce o uso de bioinsumos”. Segundo ele, é necessário que a produção On Farm – dentro da fazenda – seja amparada.

“É essencial garantir esta modalidade de produção. Se o parlamento aprovar uma legislação que proíba ou dificulte a produção On Farm, terá condenado a agricultura brasileira a seguir crescendo usando pesticidas químicos, embora tenha a mão algo melhor”, diz Rosa.

Bom Dia Agro
X
Carregando...

Agora complete as informações para personalizar sua newsletter e recebê-la também em seu Whatsapp

Sua função
Tipo de cultura

Tudo certo. Estamos preparados para oferecer uma experiência ainda mais personalizada e relevante para você.

Fique atento ao seu e-mail e Whatsapp para atualizações. Estamos ansiosos para ser parte do seu dia a dia no campo!

Enviamos um e-mail de boas-vindas para você! Se não o encontrar na sua caixa de entrada, por favor, verifique a pasta de Spam (lixo eletrônico) e marque a mensagem como ‘Não é spam” para garantir que você receberá os próximos e-mails corretamente.

Mais lidas de Agropolítica

1

Crise no arroz: entenda a queda de braço entre governo e setor produtivo

Crise no arroz: entenda a queda de braço entre governo e setor produtivo
2

Governo destina mais R$ 6,7 bi para importação de arroz e setor reage: “um desastre”

Governo destina mais R$ 6,7 bi para importação de arroz e setor reage: “um desastre”
3

Exclusivo: Plano Safra 2024/2025 pode ter R$ 540 bilhões

Exclusivo: Plano Safra 2024/2025 pode ter R$ 540 bilhões
4

Farsul diz que cada produtor rural perdeu, em média, R$ 1,4 milhão nas enchentes do RS

Farsul diz que cada produtor rural perdeu, em média, R$ 1,4 milhão nas enchentes do RS
5

Projeto que exclui invasores de terras de programas sociais é aprovado na Câmara Federal

Projeto que exclui invasores de terras de programas sociais é aprovado na Câmara Federal
6

Conab nega influência do governo em leilão de arroz; ex-assessor de Neri Geller representa três empresas vencedoras

Conab nega influência do governo em leilão de arroz; ex-assessor de Neri Geller representa três empresas vencedoras

Mapeamento completo das condições do clima para a sua região

Notícias relacionadas