AJUDA AO RS

Entidades do agronegócio fazem campanhas para ajudar o povo gaúcho. Saiba como participar!

Summit Agro

Principais diferenças entre pecuária intensiva e extensiva

Diferentes formas de criar o gado exigem alta tecnologia e podem ter menor impacto ambiental

3 minutos de leitura

16/03/2022 | 11:00

A agropecuária consiste na criação de bovinos, equinos, caprinos, ovinos e suínos para fins comerciais, e o Brasil é um dos maiores representantes mundiais dessa prática, tanto que boa parte do nosso Produto Interno Bruto (PIB) vem da produção de carne. 

O país ainda abriga o maior rebanho do mundo, que é criado por meio de duas práticas distintas: a pecuária extensiva e a intensiva.

Entenda as diferenças entre as duas a seguir.

O que é pecuária extensiva

A pecuária extensiva representa 95% da criação de animais no Brasil e consiste na criação de gado solto por grandes áreas de pasto. A popularidade dela vem da baixa necessidade de investimento que ela exige, já que o gado é criado de forma natural e precisa de acompanhamento apenas para o controle de seus nutrientes, que podem ser repostos por meio de suplementação natural de baixo custo. 

Vantagens e desvantagens da pecuária extensiva

O baixo investimento é, sem dúvidas, a maior vantagem desse tipo de criação, já que o gado se alimenta do pasto disponível na própria propriedade. A única necessidade é de suplementação e de reposição mineral em determinadas épocas do ano — assim o gasto com a engorda se torna mínimo. 

Por outro lado, a maior desvantagem dessa prática é a necessidade de ocupar grandes áreas de terra, o que gera grande impacto ambiental e degradação de biomas nativos. 

Além disso, não há como controlar o desempenho de cada animal do rebanho, uma vez que eles se espalham pela propriedade, alimentam-se de forma natural e podem apresentar a carência de nutrientes devido à baixa qualidade das forragens. 

O que é pecuária intensiva?

A pecuária intensiva é a criação de animais por meio de um sistema de confinamento e semiconfinamento. A premissa dessa abordagem é criar o maior número de cabeças no menor espaço possível. 

Por conta da grande aglomeração, as fazendas que utilizam essa estratégia de criação precisam investir em diversas inovações tecnológicas para garantir que a nutrição e o bem-estar dos animais sejam extremamente calculados. 

A tecnologia utilizada na pecuária intensiva é de alto custo e conta com estratégias de reprodução de rebanho controlada, melhoramento genético, inseminação artificial e maquinários de última geração. 

A pecuária intensiva é a melhor opção para produtores de gado de corte, já que permite resultados de reprodução e de engorda bastante controlados, com a garantia de maior qualidade. 

Vantagens e desvantagens da pecuária intensiva

A maior vantagem da pecuária intensiva é o elevado índice de produtividade alcançado por meio de estratégias alimentares e do melhoramento genético. Outros pontos positivos a serem observados são o alcance de ótimas taxas de lotação por hectare, a melhora no controle de ganho de peso e o rendimento mais alto da carcaça no período de terminação.

Contudo, essa prática também gera grandes desvantagens, como a necessidade de mão de obra especializada, o investimento em tecnologias de última geração e estruturas com ambientação ideal para o gado que são de alto custo.

Como escolher entre a pecuária intensiva e a extensiva?

Para escolher entre uma prática e outra, é necessário ponderar alguns pontos. Conheça-os a seguir.

Espaço disponível

O espaço disponível para a criação dos animais é crucial na hora de escolher entre uma prática e outra. Na pecuária intensiva, não há necessidade de grandes áreas de terra. Já na extensiva, o gado é criado solto no pasto e precisa de muitos hectares para mantê-lo nutrido, locomovendo-se com segurança e bem-estar. 

Controle de rebanho

Outro fator a ser observado é o quanto o pecuarista quer controlar os aspectos de crescimento e engorda de seu rebanho. Na pecuária extensiva, o espaço disponível faz com que os animais se espalhem e dificultem a gestão de engorda, mas, na intensiva, esse controle pode ser feito rigorosamente por meio de diversos equipamentos tecnológicos. 

Investimento

O investimento é uma das principais diferenças entre essas duas formas de pecuária: enquanto a extensiva tem um custo de implementação baixo, a intensiva exige mão de obra e equipamentos mais caros, principalmente a curto prazo. 

Fonte: Nutrição e saúde animal, Dicas Boi Saúde, Uniderp. 

Bom Dia Agro
X
Carregando...

Agora complete as informações para personalizar sua newsletter e recebê-la também em seu Whatsapp

Sua função
Tipo de cultura

Tudo certo. Estamos preparados para oferecer uma experiência ainda mais personalizada e relevante para você.

Fique atento ao seu e-mail e Whatsapp para atualizações. Estamos ansiosos para ser parte do seu dia a dia no campo!

Enviamos um e-mail de boas-vindas para você! Se não o encontrar na sua caixa de entrada, por favor, verifique a pasta de Spam (lixo eletrônico) e marque a mensagem como ‘Não é spam” para garantir que você receberá os próximos e-mails corretamente.

Mapeamento completo das condições do clima para a sua região