AJUDA AO RS

Entidades do agronegócio fazem campanhas para ajudar o povo gaúcho. Saiba como participar!

Gente

Agricultor do RS perde lavoura quatro vezes seguidas: “primeiro a seca, agora a chuva”

Além das perdas nas lavouras, grãos estão apodrecendo no armazém; gado também sofre com a falta de pasto 

3 minutos de leitura

13/05/2024 | 09:58

Por: Fernanda Farias | fernanda.farias@estadao.com

lavoura de soja submersa
Soja de 80 cm coberta pela água das inundações em Itaqui, no Rio Grande do Sul. Foto: Alexandre Foster/Arquivo Pessoal

Na região da campanha gaúcha, a estiagem costuma assombrar e provocar perdas nas lavouras e morte de animais. Mas na tragédia climática que o Rio Grande do Sul vive, a terra seca e os açudes vazios ficaram na memória do produtor rural. O que se vê são plantações inteiras submersas e pasto transformado em lama. 

O produtor rural Alexandre Foster, de Santiago, está perdendo a lavoura e vendo o gado minguar na propriedade que tem no município vizinho, Itaqui. Ao Agro Estadão, ele desabafa: “A situação é coisa nunca vista. A nossa prioridade, estamos aqui desde 1960. Nunca foi visto nada igual”.

Assim como os demais produtores da região, Foster planta soja tardia, com início do ciclo entre dezembro e janeiro. Por isso, dos 800 hectares, apenas 200 hectares haviam sido colhidos antes das inundações. Ele conta que o grão que estava nos armazéns está apodrecendo. 

“Os armazéns não têm capacidade para secagem. Então, estamos mandando grão molhado, avariado. A soja tá debulhando… abriu, brotou, ardeu. E não tem mais o que fazer”

Alexandre Foster, produtor rural

As carretas que conseguiram sair da propriedade na última semana levaram 25 mil kg de soja no espaço em que eram transportados 40 mil kg. No vídeo enviado ao Agro Estadão, rio e lavoura se misturam e não é possível saber a dimensão das perdas. “Pegou em cheio tanto de arroz quanto de soja. No mínimo 70% de perda”, estima Foster. 

O produtor rural Alexandre Foster mostra lavoura com 80cm de altura coberta pela água; em alguns pontos, inundação alcança 7 metros.

Os prejuízos vão além da propriedade. Cerca de 20 pessoas trabalham para o agricultor, entre mensalistas e safristas. Gente que não vai receber o dinheiro que esperava. “A decepção [das pessoas] é desolador. Isso aí e avassalador na economia do município”, afirma o produtor. 

Além das perdas nas lavouras, animais estão perdendo peso

O produtor rural Alexandre Foster ainda não sabe dizer se perdeu animais na inundação. O rebanho de 600 cabeças está se alimentando com a reserva de feno que havia na propriedade, porque o pasto virou lama. Foster diz que depois que a chuva parar, ainda deve demorar de dois a três meses para que o pasto volte a crescer. 

 “O gado, é um horror, tu tira da enchente e atulhando onde não pega água. Onde cabe um, você coloca 5, 6 animais”, conta.

Com a previsão de frio para o Rio Grande do Sul, a preocupação aumenta, pois os animais já estão perdendo peso. Além disso, os cascos estão apodrecendo por conta da umidade.

Produtores rurais do RS vivem quarta safra de perdas

O cenário de hoje no Rio Grande do Sul é tão devastador que fica até difícil imaginar perdas nas lavouras por outro tipo de fenômeno climático. Mas o produtor Alexandre Foster lembra muito bem o drama que ele e outros produtores do estado vivem há quatro safras.

“Faz três anos que temos prejuízo, são três secas seguidas. E a seca passada não foi visto nada igual. E agora veio a chuva”, conta, destacando que o prejuízo atual é muito maior do que representa.

Na fazenda, em Itaqui, o açude praticamente secou e a terra rachou, como mostra essa foto abaixo da safra 2022/23. Foster diz que esta é a terceira geração da família de produtores rurais. A tristeza na voz não esconde a decepção, mas também revela força diante de mais um drama. “Tijolo a tijolo. Vai ter que fazer tudo de novo”.

seca em Itaqui, RS, em 2023
Estiagem em 2023, em Itaqui, no Rio Grande do Sul. Foto: Alexandre Foster/Arquivo Pessoal

Bom Dia Agro
X
Carregando...

Agora complete as informações para personalizar sua newsletter e recebê-la também em seu Whatsapp

Sua função
Tipo de cultura

Tudo certo. Estamos preparados para oferecer uma experiência ainda mais personalizada e relevante para você.

Fique atento ao seu e-mail e Whatsapp para atualizações. Estamos ansiosos para ser parte do seu dia a dia no campo!

Enviamos um e-mail de boas-vindas para você! Se não o encontrar na sua caixa de entrada, por favor, verifique a pasta de Spam (lixo eletrônico) e marque a mensagem como ‘Não é spam” para garantir que você receberá os próximos e-mails corretamente.

Mais lidas de Gente

1

Criadora de suínos sobre dificuldade para alimentar animais após enchentes no RS: “a gente coloca a vida em risco”

Criadora de suínos sobre dificuldade para alimentar animais após enchentes no RS: “a gente coloca a vida em risco”
2

Silvia Massruhá: Os desafios da Embrapa para os próximos 50 anos

Silvia Massruhá: Os desafios da Embrapa para os próximos 50 anos
3

Agricultor familiar perde toda criação de vacas e porcas em inundação: “sobrou só uma, nem sei como sobreviveu”

Agricultor familiar perde toda criação de vacas e porcas em inundação: “sobrou só uma, nem sei como sobreviveu”
4

Agricultor do RS perde lavoura quatro vezes seguidas: “primeiro a seca, agora a chuva”

Agricultor do RS perde lavoura quatro vezes seguidas: “primeiro a seca, agora a chuva”
5

Produtores de arroz do RS drenam água de inundações com bombas de irrigação

Produtores de arroz do RS drenam água de inundações com bombas de irrigação
6

Morre deputada federal Amália Barros, de Mato Grosso

Morre deputada federal Amália Barros, de Mato Grosso

Mapeamento completo das condições do clima para a sua região

Notícias relacionadas