PUBLICIDADE

AJUDA AO RS

Entidades do agronegócio fazem campanhas para ajudar o povo gaúcho. Saiba como participar!

Economia

Novo recorde: trabalhadores no agronegócio somam 28,6 milhões no 1° trimestre de 2024 

Avanço no número de trabalhadores no agronegócio foi puxado pelo segmento de agrosserviços; já na agropecuária houve queda de 3,5%

3 minutos de leitura 10/07/2024 | 11:16

Por: Rafael Bruno

Foto: Adobe Stock
Foto: Adobe Stock

O número de trabalhadores no agronegócio brasileiro somou 28,6 milhões de pessoas no 1º trimestre de 2024, recorde da série histórica iniciada em 2012. É o que informa um relatório publicado nesta quarta-feira, 10, pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), em parceria com a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). De acordo com a publicação, a participação do setor no total de ocupações do Brasil foi de 26,85% nos primeiros três meses do ano – no mesmo período de 2023, representava 26,67%.

Frente ao 1º trimestre de 2023, a população ocupada (PO) do setor aumentou 3,0%, cerca de 827 mil pessoas, esse incremento esteve relacionado sobretudo ao aumento de 9,9% no número de trabalhadores atuando em agrosserviços. Pesquisadores do Cepea destacam que esse resultado parte de um segmento que tem o maior número de trabalhadores, que são alocados nas diversas atividades que atendem os demais segmentos.

“O resultado [de agrosserviços] pode ser interpretado como um desdobramento do desempenho do agronegócio como um todo, visto que se constitui como o elo direto entre a produção agropecuária e agroindustrial e o consumidor final, englobando desde o transporte, armazenamento e comércio até os serviços jurídicos, administrativos e contábeis”, contextualiza o estudo.

Referente aos demais segmentos do agronegócio, a pesquisa também revela crescimento de 1,3% ou 3,9 mil trabalhadores no setor de insumos e avanço de 3,4% ou 149 mil pessoas na agroindústria.

Para os insumos, o resultado foi impulsionado pelas indústrias de rações (11%) e de medicamentos veterinários (8,2%). No caso das agroindústrias, destacaram-se principalmente os avanços das agroindústrias de móveis de madeira (13,7%), de papel e celulose (11,6%), de moagem e produtos amiláceos (11%), de óleos e gorduras (55%), e laticínios (6,8%).

PUBLICIDADE

Na agropecuária, reduziu o número de pessoas ocupadas

Ao considerar os setores do agronegócio, o número de pessoas ocupadas na agropecuária caiu 3,5% frente ao 1º trimestre de 2023. A redução é resultado das baixas que ocorreram em: sojicultura (-11,3%), cafeicultura (-9%), horticultura (-5,8%), fumicultura (-14,5%), bovinocultura (-6%), avicultura (-7,5%) e suinocultura (-11,6%).

Essa retração na agricultura e na pecuária é explicada pela redução dos preços pagos pelas commodities, diz o estudo. Isso impacta nas margens dos produtores e, consequentemente, nas decisões de investimentos e de contratação. Observando a série histórica, é possível perceber a tendência de redução da mão de obra ocupada no segmento como um todo: entre 2012 e 2023, a PO do segmento passou de 10,2 milhões para 8,3 milhões – queda de 19,3% em 12 anos.

Esse processo foi consideravelmente mais intenso nas atividades de base agrícola desde 2012, além de ser uma tendência geral observada desde 2005. “Em certa medida, esse comportamento reflete o processo de mecanização, responsável por tornar as atividades mais capital-intensivas e, com isso, ‘liberar’ mão de obra para outros setores da economia,” argumentam os pesquisadores.

Quanto ao perfil da mão de obra, em ambas as comparações, observou-se que o aumento da PO do agronegócio foi puxado:

  • por empregados, sobretudo com carteira assinada – logo, aumentou a formalização do emprego; 
  •  por trabalhadores com maior nível de instrução – tendência verificada no setor desde o início da série histórica; 
  • e por mulheres – houve aumento da participação feminina no período.

Os rendimentos mensais dos empregados do agronegócio aumentaram 4,6% na comparação com igual período de 2023.

Siga o Agro Estadão no Google News e fique bem informado sobre as notícias do campo.

PUBLICIDADE

Agro Estadão Newsletter

Newsletter

Acorde bem informado
com as notícias do campo

Agro Estadão Clima Agro Estadão Clima

Mapeamento completo das
condições do clima
para a sua região

Agro Estadão Clima
VER INDICADORES DO CLIMA

PUBLICIDADE

Notícias Relacionadas

Economia

Trigo: baixo estoque de qualidade chama atenção para as importações

Trigo: baixo estoque de qualidade chama atenção para as importações

No campo, também crescem as preocupações em relação às condições climáticas

Economia

Rio Grande do Sul monta barreiras sanitárias em área de foco da doença de Newcastle

Rio Grande do Sul monta barreiras sanitárias em área de foco da doença de Newcastle

Ao todo foram feitos oito postos de fiscalização para desinfecção dos veículos e o controle de animais e produtos agropecuários

Economia

Mamão: conheça os tipos, forma de plantar e curiosidades sobre a fruta 

Mamão: conheça os tipos, forma de plantar e curiosidades sobre a fruta 

Natural do continente sulamericano, o mamão é uma das principais frutas exportadas pelo Brasil

Economia

Soja: Agricultura ajusta Zoneamento Agrícola a calendário de plantio

Soja: Agricultura ajusta Zoneamento Agrícola a calendário de plantio

Em Mato Grosso, principal produtor da oleaginosa, a semeadura deverá ser feita de 7 de setembro deste ano a 7 de janeiro de 2025

PUBLICIDADE

Exportações de carne de frango para a China devem voltar em 15 dias

“Estou muito otimista”, diz secretário do Mapa, após negociar fim da restrição à carne de frango na China; México deve retomar nesta semana

Exportações de produtos agro avançam na parcial de julho

Soja e carnes puxam números positivos da balança comercial; milho despenca e registra quedas tanto em volume quanto em receita

Saída de Joe Biden da disputa eleitoral dos EUA movimenta o mercado internacional; entenda os reflexos para o Brasil 

Sem Joe Biden, especialistas analisam cenários com Trump e Kamala Harris na Casa Branca; como ficam as relações dos EUA com China e Brasil?

Dívidas rurais: 7 em cada 100 agricultores ficaram inadimplentes no primeiro trimestre de 2024

Entre as regiões, Sul tem menor percentual de agricultores com dívidas rurais (4,9%), enquanto Norte lidera (10,5%), diz Serasa Experian

Logo Agro Estadão
Bom Dia Agro
X
Carregando...

Seu e-mail foi cadastrado!

Agora complete as informações para personalizar sua newsletter e recebê-la também em seu Whatsapp

Sua função
Tipo de cultura

Bem-vindo (a) ao Bom dia, Agro!

Tudo certo. Estamos preparados para oferecer uma experiência ainda mais personalizada e relevante para você.

Mantenha-se conectado!

Fique atento ao seu e-mail e Whatsapp para atualizações. Estamos ansiosos para ser parte do seu dia a dia no campo!

Enviamos um e-mail de boas-vindas para você! Se não o encontrar na sua caixa de entrada, por favor, verifique a pasta de Spam (lixo eletrônico) e marque a mensagem como ‘Não é spam” para garantir que você receberá os próximos e-mails corretamente.