PUBLICIDADE

AJUDA AO RS

Entidades do agronegócio fazem campanhas para ajudar o povo gaúcho. Saiba como participar!

Agropolítica

Plano Safra 2024/2025 será lançado dia 3 de julho em Brasília

Confira medidas que serão anunciadas para o próximo ano-safra

5 minutos de leitura 25/06/2024 | 19:32

Por: Daumildo Júnior | daumildo.junior@estadao.com

Foto: Fabio Rodrigues-Pozzebom/ Agência Brasil
Foto: Fabio Rodrigues-Pozzebom/ Agência Brasil

Uma reunião com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no Palácio do Planalto, nesta terça-feira, 25, definiu a data do anúncio do Plano Safra 2024/2025. De acordo com o ministro do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar, Paulo Teixeira, serão feitas duas cerimônias no dia 3 de julho para os lançamentos dos planos empresarial e familiar. 

“Os dois [anúncios] no dia 03 de julho, um de manhã e outro pela tarde”, disse Teixeira aos jornalistas após participar do encontro. A reunião com Lula durou aproximadamente duas horas e também contou com a participação do ministro da Fazenda, Fernando Haddad, do ministro da Agricultura e Pecuária (Mapa), Carlos Fávaro, da ministra substituta da Casa Civil, Miriam Belchior, e da presidente do Banco do Brasil, Tarciana Medeiros.

Na segunda-feira, 24, a assessoria de imprensa do Palácio do Planalto adiantou alguns eventos da agenda do presidente Lula e constava o lançamento para o dia 26, quarta-feira. A data já havia sido tratada pelos ministros da Agricultura e do MDA. Teixeira inclusive já havia informado que os anúncios seriam feitos em dois dias, como aconteceu em 2023.

Nos bastidores, essas previsões começaram a ruir com a proximidade do dia 26 de junho e falta de organização para o evento. Fontes ouvidas pela reportagem chegaram a dizer que “não há nada certo ainda” e relataram que não receberam o convite para a participação no evento. Além disso, a possibilidade de fazer o anúncio do Plano Safra da Agricultura Familiar nos primeiros dias de julho (3 ou 5) também começou a ser ventilada, o que se confirmou nesta terça.

Questionado do porquê da mudança, o ministro Paulo Teixeira reconheceu que o tempo era muito curto para fazer o lançamento já no dia 26 de junho. “Não dá para preparar uma entrega de hoje para amanhã. Então ganhamos uma semana para a preparação do evento”, ressaltou.

PUBLICIDADE

Ainda na segunda, 24, as cúpulas do ministério da Fazenda, do Mapa e do MDA estavam reunidos para alinhar o Plano Safra 2024/2025. 

Questionado se haveria divergência sobre o valor pedido para o Plano Safra e com o valor proposto pelo Tesouro Nacional, Teixeira disse que está “tudo resolvido”. “Divergência é uma palavra fora do nosso [radar]. Tudo foi resolvido. Vai ser tudo certo”, afirmou.  

Esse atraso no anúncio pode gerar alguns transtornos para os produtores. Isso porque o ano agrícola começa no dia 1º de julho e sempre se espera que as linhas de financiamento do Plano Safra já sejam conhecidas nessa altura. 

O impacto prático de um eventual atraso no lançamento do plano é a criação de um vácuo na tomada de crédito. O ex-secretário de Política Agrícola e diretor da Wedekin Consultores, Ivan Wedekin, pondera que isso já acontece todos os anos, porém esse período pode durar mais tempo, caso o anúncio não saia antes de 1º de julho. Isso significa que a compra de insumos, máquinas e implementos agrícolas pode também demorar ou afetar em alguma medida o planejamento do produto rural.

“Sempre tem um delay, porque o governo não costuma anunciar com muita antecedência. E depois de anunciado, leva um tempo para as normas chegarem nos agentes financeiros efetivamente. Um atraso no anúncio vai gerar um atraso no início da efetiva implementação”, analisa ao Agro Estadão. 

PUBLICIDADE

Outro desencontro de informações é quanto ao lugar. A previsão é de que será no Palácio do Planalto, em Brasília (DF), mas há alguns dias, o ministro da Agricultura e Pecuária, Carlos Fávaro, chegou a falar que o lançamento poderia acontecer em Rondonópolis (MT). Fávaro voltou atrás na última sexta, 21.

Como adiantou o Agro Estadão, o valor que deverá ser anunciado é de R$ 540 bilhões. Esse montante representa a soma das fatias da agricultura empresarial e agricultura familiar. 

FPA se manifesta contra adiamento 

Após a confirmação da data, a Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) emitiu uma nota lamentando o adiamento do lançamento do Plano Safra 2024/2025. Segundo a frente, o fato é uma “demonstração de desorganização e ineficiência do governo federal”.

A bancada ainda ressalta o impacto para os produtores. “Importante ressaltar que os produtores rurais ficarão descobertos durante a primeira semana de vigência do plano, ou seja, todos os problemas que estiverem na proposta inicial ainda precisarão ser corrigidos, o que leva mais tempo ainda para a chegada do crédito real aos produtores”, destacou a nota. 

Quem também criticou o adiamento foi a Federação da Agricultura do Estado do Paraná (FAEP). Em nota, a federação classificou como um “desserviço” e disse que os produtores “vão começar a temporada em meio às incertezas”.

PUBLICIDADE

Entidades querem mais

A Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) e a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) enviaram ao governo propostas de R$ 558 bilhões e de R$ 570 bilhões, respectivamente. 

No entanto, ambas entidades pedem valores acima de R$ 20 bilhões para a equalização dos juros e este valor, no anúncio oficial, pode ficar bem abaixo. Segundo apurou o Agro Estadão, o governo trabalha com algo em torno de R$ 11 bilhões, o que seria inclusive abaixo dos R$ 13,6 bilhões empregados no Plano Safra 2023/2024. 

Novidades são aguardadas no novo Plano Safra

Uma das expectativas para o Plano Safra é a ampliação ou fortalecimento de linhas de crédito que incentivem a agricultura mais sustentável. Ideias como juros mais baixos para produtores que monitorarem suas emissões de carbono estão sendo estudadas pelo governo. 

Além disso, o ministro da Agricultura também já comentou que alguns produtos essenciais na composição alimentar dos brasileiros devem ganhar estímulos para serem produzidos de forma desconcentrada. O exemplo é o arroz. O governo quer incentivar o aumento da produção fora do estado do Rio Grande do Sul, que corresponde a 70% de toda a produção no país. 

PUBLICIDADE
Agro Estadão Newsletter

Newsletter

Acorde bem informado
com as notícias do campo

Agro Estadão Clima Agro Estadão Clima

Mapeamento completo das
condições do clima
para a sua região

Agro Estadão Clima
VER INDICADORES DO CLIMA

PUBLICIDADE

Notícias Relacionadas

Agropolítica

Produtores rurais gaúchos reforçam pedido de anistia de dívidas

Produtores rurais gaúchos reforçam pedido de anistia de dívidas

Fávaro participou do evento e indicou que Medida Provisória sobre o assunto pode sair até o fim deste mês

Agropolítica

Governo publica medida que libera recursos para Seguro Rural no RS

Governo publica medida que libera recursos para Seguro Rural no RS

Crédito para Seguro Rural amplia cobertura no estado gaúcho de 12 mil para 26 mil produtores

Agropolítica

Governo confirma perdão de dívidas a produtor rural que perdeu tudo nas enchentes do RS 

Governo confirma perdão de dívidas a produtor rural que perdeu tudo nas enchentes do RS 

Ministros prometem MP para repactuar dívidas de agricultores até 30 de julho; outra medida garante R$ 600 milhões para crédito

Agropolítica

Governo deve anunciar MP para negociar dívidas de agricultores gaúchos nesta quinta

Governo deve anunciar MP para negociar dívidas de agricultores gaúchos nesta quinta

Com a MP sobre as dívidas, projeto de lei que prevê medidas de apoio aos agricultores do Rio Grande do Sul saiu da pauta do Senado

PUBLICIDADE

Preço mínimo do arroz aumenta 5% no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina

Farsul diz que preços mínimos estão abaixo da realidade; nas demais regiões, o reajuste do arroz foi de 10%

Projeto de lei que cria política nacional para agricultura urbana aguarda sanção presidencial

Estudos apontam que agricultura urbana tem potencial para suprir necessidade de hortícolas, porém faltam incentivos dos governos e linhas de financiamento próprias

Atentado a Trump reacende temor chinês e pode impulsionar exportações brasileiras

Pragmatismo na relação com o Brasil e embate com o Brics; especialistas comentam cenários possíveis caso Donald Trump vença as eleições dos EUA

Caminhoneiros podem ter dívidas suspensas ou prorrogadas, confirma BNDES

Pedidos já podem ser feitos; interessados devem procurar as instituições financeiras responsáveis

Logo Agro Estadão
Bom Dia Agro
X
Carregando...

Seu e-mail foi cadastrado!

Agora complete as informações para personalizar sua newsletter e recebê-la também em seu Whatsapp

Sua função
Tipo de cultura

Bem-vindo (a) ao Bom dia, Agro!

Tudo certo. Estamos preparados para oferecer uma experiência ainda mais personalizada e relevante para você.

Mantenha-se conectado!

Fique atento ao seu e-mail e Whatsapp para atualizações. Estamos ansiosos para ser parte do seu dia a dia no campo!

Enviamos um e-mail de boas-vindas para você! Se não o encontrar na sua caixa de entrada, por favor, verifique a pasta de Spam (lixo eletrônico) e marque a mensagem como ‘Não é spam” para garantir que você receberá os próximos e-mails corretamente.