AJUDA AO RS

Entidades do agronegócio fazem campanhas para ajudar o povo gaúcho. Saiba como participar!

Gente

Sonho de infância faz professor largar magistério para ser produtor de leite

Agricultor familiar começou com três vacas e 11 litros de leite. Hoje ordenha mais de 300 litros de 25 animais

2 minutos de leitura

07/02/2024 | 15:08

Por: Daumildo Júnior | daumildo.junior@estadao.com

Vacas sendo alimentadas em propiedade rural
Produtor tira em média 300 a 350 litros de leite por dia. Foto: Jorgevan Menezes/Arquivo Pessoal

Vendo o pai lidar com a produção de leite desde que nasceu, o baiano Jorgevan Menezes, 47, segue os mesmos passos, quando largou a profissão de professor de Educação Física para retornar à roça, em dezembro de 2001. 

“A gente nasceu e conviveu vendo ele fazer isso (tirar leite). Aí vai aprendendo aos pouquinhos. E quando eu me formei, logo casei e tinha que arrumar um dinheiro para sustentar a casa e a família, e fui ensinar. Mas não era bem o que eu gostava. Depois de quatro anos desisti e vim cuidar de um terreninho que eu tinha”, conta o produtor de leite.  

O que começou como forma de sustentar a família recém-criada, cresceu e se tornou um empreendimento. Hoje, a propriedade localizada em Miguel Calmon (BA) tem 25 vacas ordenhadas e produz uma média mensal de 300 a 350 litros de leite por dia. Jorgevan relembra quando iniciou e foi juntando dinheiro para melhorar a propriedade.  

“Quando eu vim embora, meu terreno era pequenininho. Não tinha quase nada. Dinheiro era curto. Tinha três vaquinhas no terreno do meu pai, trouxe para cá e comecei a tirar um leitinho e vender só um pouquinho de leite (cerca de 11 litros por dia). Trabalhava três dias na semana no terreno dos outros para poder inteirar o dinheiro da feira. Fui levando a vida assim. Depois aumentei as vacas, melhorando o gado, e estou aqui até hoje nessa luta”, diz.

Comparando a época do seu pai com os dias de atuais, o produtor baiano diz que “aquele tempo era melhor, chovia mais e não tinha esse tanto de coisa que tem hoje”. Mas também pontua o que avançou de lá para cá, como um gado de melhor qualidade e aumento da produção. Antes, o costume era ordenhar uma vez ao dia sem o auxílio de aparelhos, hoje, são feitos dois ciclos de ordenha e há mais tecnificação. 

Jorgevan faz manejo de silagem e palma para enfrentar estiagem na Bahia.
Foto: Jorgevan Menezes/Arquivo Pessoal

Aprendendo e colocando em prática

Em 2023, o produtor de leite lembra que passou por uma situação de seis meses de estiagem na região. Segundo o relato, “muitos criadores perderam o rebanho quase todo”, mas a propriedade dele conseguiu passar pelo tempo ruim devido à silagem e à palma forrageira, cactácea que serve como alimento para rebanhos nas regiões semiáridas e áridas nordestinas. 

Ele explica que um dos pontos de virada e que o ajudaram a manter o gado e a produção foram os cursos de alimentação para o rebanho oferecidos pelo Senar (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural). “O que foi que melhorou mais a gente foi tomar cursos e aprender, fazendo visita nas fazenda e botando em prática. Aprendendo e aplicando na prática”, lembra. 

Além da capacitação sobre novas formas de alimentação, o produtor teve cursos de inseminação e manejo de gado. Toda essa bagagem tem auxiliado a manter a produção.

Mesmo com os desafios, o produtor agradece pelo o que tem conquistado. “Graças a Deus é isso que eu sei fazer, é isso que eu gosto e é o que sustenta a minha família até hoje. E não dá pra gente passar mal não”, ressalta. Ele também deixa um recado: “se você ficar parado e não se atualizar, as coisas não melhoram”.

Bom Dia Agro
X
Carregando...

Agora complete as informações para personalizar sua newsletter e recebê-la também em seu Whatsapp

Sua função
Tipo de cultura

Tudo certo. Estamos preparados para oferecer uma experiência ainda mais personalizada e relevante para você.

Fique atento ao seu e-mail e Whatsapp para atualizações. Estamos ansiosos para ser parte do seu dia a dia no campo!

Enviamos um e-mail de boas-vindas para você! Se não o encontrar na sua caixa de entrada, por favor, verifique a pasta de Spam (lixo eletrônico) e marque a mensagem como ‘Não é spam” para garantir que você receberá os próximos e-mails corretamente.

Mais lidas de Gente

1

Histórias no campo: trocou o escritório na cidade pelo sítio e descobriu um negócio de sucesso

Histórias no campo: trocou o escritório na cidade pelo sítio e descobriu um negócio de sucesso
2

Com leite de búfala, empresa mineira triplica tamanho e mira no exterior

Com leite de búfala, empresa mineira triplica tamanho e mira no exterior
3

ABCZ: “o produtor deve buscar a pecuária de precisão”

ABCZ: “o produtor deve buscar a pecuária de precisão”

Mapeamento completo das condições do clima para a sua região

Notícias relacionadas