Summit Agro

Principais doenças do maracujá e como fazer um manejo eficiente

O Brasil produz cerca de 700 mil toneladas de maracujá por ano e é o maior produtor global da fruta

4 minutos de leitura

14/09/2023

O Brasil é o maior produtor mundial de maracujá, colhendo um volume aproximado de 700 mil toneladas por ano, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Ceará, Bahia e Santa Catarina oferecem condições climáticas ideais para o cultivo, sendo os Estados que mais produzem a fruta.

A versatilidade do maracujá contribui para seu sucesso no mercado. Além de ser consumido fresco e in natura, o fruto é utilizado na produção de sucos, sorvetes, doces, geleias, licores e outros produtos derivados. Sua polpa também é apreciada na indústria alimentícia e de cosméticos, devido às suas propriedades antioxidantes e nutritivas.

Contudo, apesar do potencial produtivo do maracujazeiro, os agricultores enfrentam desafios em suas plantações, como o ataque de doenças que podem reduzir a produtividade e a qualidade dos frutos. Por isso, é essencial adotar práticas de manejo adequadas, para garantir o sucesso da produção.

Quais são as principais doenças do maracujá?

O aplicativo AgroPragas, desenvolvido pela Embrapa, identifica doenças do maracujazeiro. (Fonte: Alessandra Vale/Embrapa/Reprodução)

O maracujazeiro é suscetível a doenças devido a uma combinação de fatores biológicos e ambientais que tornam a planta vulnerável ao ataque de agentes patogênicos. O ambiente tropical e úmido, ideal para o crescimento e desenvolvimento do maracujá, também é favorável à disseminação de fungos, bactérias e vírus.

Confira as principais doenças que atingem o cultivo de maracujá.

Antracnose

A doença fúngica ataca diversas partes do maracujazeiro, como folhas, frutos e ramos. Os sintomas incluem lesões escuras e úmidas, que podem se expandir rapidamente, causando a queda prematura dos frutos. Para controlar a doença, é importante realizar podas adequadas e aplicar fungicidas.

Verrugose

Causada por fungos do gênero Cladosporium, manifesta-se principalmente nas folhas do maracujazeiro. A doença causa pequenas verrugas de coloração escura na superfície das folhas, que, em casos severos, levam à desfolha. Para evitar a propagação, é recomendado realizar a remoção e destruição de folhas infectadas, além de aplicar fungicidas.

Septoriose

A septoriose é causada pelo fungo Septoria passiflorae, que afeta as folhas do maracujazeiro. Apresenta-se como pequenas manchas circulares com um centro branco ou acinzentado e bordas escuras nas folhas, gerando danos significativos ao maracujazeiro. Para controlar a doença, é necessário remover e destruir as folhas afetadas e retirar o excesso de umidade do solo, além do uso de fungicida.

Murcha ou fusariose

O fungo que causa a fusariose afeta o sistema radicular do maracujazeiro, sendo mais prevalente em condições de solo úmido e temperaturas moderadas. A doença provoca o amarelamento das folhas mais e a murcha gradual da planta. O controle da doença é realizado com rotação de culturas, drenagem e solarização do solo.

Podridão-do-colo

Microrganismos podem ajudar a prevenir doenças no maracujá. (Fonte: Breno Lobato/Embrapa/Reprodução)

A podridão-do-colo também afeta o sistema radicular do maracujazeiro. É causada por vários fungos que provocam o escurecimento da região do colo da planta, próximo ao solo. Com o tempo, o maracujazeiro pode morrer. Para evitar a doença, é necessário drenar e adubar corretamente o solo. O tratamento é realizado com fungicida.

Cancro-bacteriano ou bacteriose

O cancro-bacteriano é causado por bactérias que geram lesões de formato irregular, com bordas escuras e centros necrosados nas folhas, cancros nos ramos e necrose nos frutos. A doença pode ser controlada com a desinfecção de equipamentos agrícolas, inspeções regulares nas plantas e a remoção e destruição das partes afetadas.

Murcha bacteriana

A murcha bacteriana causa o murchamento repentino das folhas e ramos, seguido pela descoloração e necrose das partes afetadas. As plantas infectadas apresentam um aspecto mirrado e podem acabar morrendo rapidamente. Ao adotar o uso de mudas sadias, a rotação de culturas e o monitoramento constante, os produtores podem minimizar os impactos da doença.

Endurecimento-dos-frutos

O endurecimento-dos-frutos é uma doença viral que afeta os frutos do maracujá que compromete a qualidade dos frutos, que passam a apresentar uma textura enrijecida e aspecto enrugado na casca, tornando-os inadequados para o consumo. A doença pode ser evitada com o cultivo de espécies resistentes e o controle de insetos vetores.

Mosaico-do-pepino

O vírus causador do mosaico-do-pepino danifica as folhas do maracujazeiro, reduzindo a capacidade de fotossíntese. Com isso, as folhas apresentam manchas amareladas, esverdeadas ou esbranquiçadas. A doença pode ser controlada com a remoção das partes doentes e o controle das pragas disseminadoras da doença.

Begomovírus

Os begomovírus são vírus que podem causar doenças graves no maracujá, afetando tanto a parte aérea quanto o sistema radicular da planta. O manejo inclui o uso de mudas saudáveis e provenientes de fontes confiáveis e o controle de insetos que disseminam a patologia.

Definhamento precoce ou morte prematura

O definhamento precoce afeta o maracujazeiro, levando à morte das plantas ainda em estágios iniciais de crescimento. Causada por um vírus, a doença não tem cura, mas a sua disseminação pode ser evitada com o uso de sementes sadias, a rotação de cultura e a eliminação de plantas doentes.

Fontes: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa)

Bom Dia Agro

Newsletter

X
Carregando...

Seu e-mail foi cadastrado!

Agora complete as informações para personalizar sua newsletter e recebê-la também em seu Whatsapp

Sua função
Tipo de cultura

Bem-vindo (a) ao Bom dia, Agro!

Tudo certo. Estamos preparados para oferecer uma experiência ainda mais personalizada e relevante para você.

Mantenha-se conectado!

Fique atento ao seu e-mail e Whatsapp para atualizações. Estamos ansiosos para ser parte do seu dia a dia no campo!

Enviamos um e-mail de boas-vindas para você! Se não o encontrar na sua caixa de entrada, por favor, verifique a pasta de Spam (lixo eletrônico) e marque a mensagem como ‘Não é spam” para garantir que você receberá os próximos e-mails corretamente.

Mais lidas de Summit Agro

Mapeamento completo das condições do clima para a sua região

Notícias relacionadas