Oferecimento:

Patrocinador
AJUDA AO RS

Entidades do agronegócio fazem campanhas para ajudar o povo gaúcho. Saiba como participar!

AGRISHOW 2024

Robôs da Agrishow fazem soldagens, pinturas, aplicam herbicidas e servem café e chopp

Equipamentos programados para fazer as tarefas sozinhos podem ser vistos nos estandes da Yaskawa e da Solinftec

3 minutos de leitura

30/04/2024

Por: Igor Savenhago

Máquinas sendo apresentadas na Agrishow
Foto: Igor Savenhago

Os movimentos são precisos, minimamente planejados. Na Agrishow 2024, em Ribeirão Preto (SP), os robôs pedem passagem. Não apenas para atrair e encantar visitantes, mas para antecipar tendências em todo o cenário agrícola brasileiro. Pelo menos duas empresas apresentam na feira tecnologias autônomas, capazes de executar com maestria o trabalho pesado na terra enquanto os produtores assumem um novo papel: o de gestores de dados que otimizam o desempenho das lavouras.  

No estande da Yaskawa, um grupo japonês com fábrica em Diadema (SP), são os robôs que fazem as honras da casa. Um deles prepara e entrega cafezinho a quem visita a empresa. Outro tira copos de chopp. E todos os equipamentos expostos são “vestidos” a caráter, com chapéus comemorativos às cinco décadas de presença da empresa no Brasil. 

Especializada em tecnologia robótica para diversos tipos de aplicações, como soldagem, corte e montagem de peças, organização de caixas, gravação de informações escritas e pinturas, a Yaskawa tem ampliado a presença no agronegócio, setor que começou a ser atendido há menos de dez anos. 

Segundo Márcio Garcia, diretor de soluções, 20% dos negócios da empresa já são ligados à produção rural, com perspectiva de crescimento acelerado nos próximos anos. Tanto que uma nova unidade está sendo construída em São Bernardo do Campo (SP), com investimentos de R$ 100 milhões. 

Garcia explica que a empresa está criando, também, uma divisão específica para atender o segmento agropecuário. “Quando falamos em agronegócio, a robotização tem se mostrado indispensável, por causa do controle de qualidade que promove”, afirma o diretor ao Agro Estadão. Isso porque permite uma padronização da produção e manutenção das peças de acordo com as diretrizes mais rigorosas exigidas pelo mercado. 

Os custos para aquisição de um robô da empresa variam de R$ 60 mil, para modelos de manutenção e soldagem, a R$ 500 mil, para os voltados a pinturas. Nesse último caso, especificamente, Garcia afirma que os robôs podem ajudar a reduzir custos, porque espalham melhor as partículas de tinta e reduzem a quantidade aplicada. 

Para essa e outras tarefas, basta criar uma animação no computador, ilustrando os procedimentos a serem executados e transferir o arquivo para os robôs, para que sigam exatamente o que foi determinado. “Ainda existe uma certa preocupação de que a robótica vai eliminar empregos. Na minha visão, esse tipo de tecnologia vem para transformar o mundo do trabalho”, conclui Garcia. 

Múltiplas tarefas

Transformação é o que promete também a Solinftec quando divulga o Solix, robô que, além de fazer sozinho a distribuição de herbicidas nas lavouras, ajuda no controle de insetos. 

Ele é 100% elétrico. Foi lançado há dois anos como alternativa sustentável, já que reduz tanto o volume de produto aplicado quanto a água necessária para fazer a diluição. 

Por meio de sistemas de inteligência artificial, o robô identifica os pontos da área cultivada que precisam receber o herbicida e aplicam apenas neles. Ele também tem uma câmera acoplada, que fotografa a plantação e contribui para que o agricultor defina se há necessidade de suplementação de nutrientes, combate a pragas, entre outras funcionalidades. E uma tecnologia de comprimento de ondas na frente, que gera uma luz eficaz para atrair e eliminar insetos adultos. 

O Solix começou a ser desenvolvido em 2018, ano em que a Solinftec lançou na Agrishow outro equipamento inteligente, a Alice, que cruzava informações agronômicas e climáticas para responder a dúvidas dos produtores. Com isso, a Solinftec percebeu que havia demanda para novos produtos nessa linha. 

O custo para levar o robô para a propriedade rural varia entre R$ 350 mil e R$ 370 mil. A empresa tem 80 unidades dele em funcionamento: 40 no Brasil e 40 nos Estados Unidos. Bruno Pavão, chefe de operações robóticas, diz que a empresa planeja conquistar clientes em outros países, principalmente na América Latina. Isso será feito passo a passo, pensando em cada detalhe. Como os movimentos dos robôs.

Bom Dia Agro
X
Carregando...

Agora complete as informações para personalizar sua newsletter e recebê-la também em seu Whatsapp

Sua função
Tipo de cultura

Tudo certo. Estamos preparados para oferecer uma experiência ainda mais personalizada e relevante para você.

Fique atento ao seu e-mail e Whatsapp para atualizações. Estamos ansiosos para ser parte do seu dia a dia no campo!

Enviamos um e-mail de boas-vindas para você! Se não o encontrar na sua caixa de entrada, por favor, verifique a pasta de Spam (lixo eletrônico) e marque a mensagem como ‘Não é spam” para garantir que você receberá os próximos e-mails corretamente.

Mapeamento completo das condições do clima para a sua região