PUBLICIDADE

AJUDA AO RS

Entidades do agronegócio fazem campanhas para ajudar o povo gaúcho. Saiba como participar!

Inovação

Abelhas e soja: uma combinação que pode dar (muito) certo

Pesquisa da Embrapa comprova o que agricultores e apicultores aprenderam na prática: a produtividade de soja e mel aumentam quando as culturas andam juntas

5 minutos de leitura 25/06/2024 | 15:25

Por: Fernanda Farias | fernanda.farias@estadao.com

Foto: Ligia Mara Jung/Arquivo Pessoal
Foto: Ligia Mara Jung/Arquivo Pessoal

Em Floresta, cidade vizinha a Maringá (PR), a família da produtora de soja Lígia Mara Jung convive com as abelhas desde 1960. Criar abelha era opção para ter açúcar em casa. Nessa época, eles colhiam o mel do café, mas os cafezais foram dizimados por volta de 1975, dando lugar à soja. A família continuou com os apiários e se surpreendendo. “De onde vem esse mel? Meu pai perguntava! Até que um dia viram abelhas visitando a lavoura de soja. Aí acabou o mistério”, conta Lígia. 

Com a produção de mel cada vez maior, a família foi se profissionalizando e as caixas foram ocupando espaços de mata muito próximos das lavouras. E até hoje, a grande safra de mel da propriedade acontece na florada da soja.

Aos poucos, o sucesso nos apiários foi se repetindo nas plantações de soja. “Meu pai sempre dizia: nas áreas ao redor da mata, onde tem abelha, dá mais soja. Ele percebia isso na máquina”, diz a produtora. E, de fato, hoje ela contabiliza aumento de 10% de produtividade nesses pontos.   

Ligia e a mãe na produção de mel. Foto: Arquivo Pessoal.

A exemplo da Lígia, sojicultores de diversas regiões do país têm optado pelo consórcio soja-abelha porque perceberam as vantagens. “A cada ano, multiplica o número de produtores interessados em promover essa integração; hoje os melhores agricultores estão entendendo o quanto é vantajoso”, conta Décio Gazzoni,  pesquisador da Embrapa Soja e coordenador de um projeto que comprova os relatos. 

Embrapa comprova resultados do consórcio abelha-soja

A convivência harmoniosa entre abelhas e soja está sendo estudada há dois anos, em uma parceria da Embrapa Soja com a Basf. Os estudos acontecem em 30 propriedades rurais nas regiões de São Gabriel (RS), Maringá (PR) e Dourados (MS). Os locais tiveram “dobradinhas”: para cada sojicultor, um apicultor. 

PUBLICIDADE

As duplas adotaram boas práticas agrícolas, apícolas e de comunicação. “Isso significa que os dois têm de conversar o tempo todo de forma aberta, um tem que saber o que o outro está fazendo para não ser pego de surpresa e ter um impacto negativo”, explica Gazzoni.

A base é o Manejo Integrado de Pragas (MIP), que são técnicas para reduzir os insetos-praga sem afetar a presença dos inimigos naturais. E por isso, o produtor de soja precisa seguir uma série de orientações, como o horário de aplicação de produtos, evitar deriva, etc.

“As abelhas costumam visitar as plantações pela manhã, então o produtor deve evitar fazer as aplicações nesse período. Nós percebemos que quando os dois lados seguem as regras, todos ganham. O produtor produz mais soja, o apicultor, mais mel, e as abelhas não morrem”, analisa o pesquisador. 

Como as abelhas ajudam a aumentar a produção de soja?

Décio Gazzoni explica que as abelhas agem como polinizadores. Quando visitam a flor de soja para retirar o néctar,  transportam o pólen da parte masculina para a parte feminina da flor. Essa polinização resulta em maior fertilização, o que gera maior número de grãos. 

“Vai ter mais vagens com três grãos, e mais com quatro grãos, o que não é normal. E notamos o aumento em 4%, 5% e até 6% no peso do grão”, conta Gazzoni. 

PUBLICIDADE

Segundo ele, a média de aumento de produtividade foi de 13%, mas também se alcançou 18% em alguns locais. “Isso é uma renda líquida para o produtor, porque ele não mexe no sistema de produção, não gasta mais com adubo. O custo é o mesmo, mas ele colhe mais, até 5 ou 6 sacos por hectare”, avalia. 

Apicultor produziu 50 kg de mel em dois meses

As abelhas se alimentam das flores das plantas e, quando não existe flor, o produtor precisa fornecer comida de outra forma. Quando começa o verão, a florada desaparece na maior parte das regiões, e é aí que o consórcio abelha-soja aparece como uma solução para esse problema. 

O apicultor Aldo Machado dos Santos, de São Gabriel (RS), conta que deixa de gastar o equivalente a oito quilos de mel para garantir a alimentação das abelhas nesse período sem flores porque mantém os apiários próximos das lavouras de soja. E ainda tem aumento na produção.

“Tive apiários em que atingi 50 kg de mel por caixa em dois meses, somente na florada da soja. E quando levamos os enxames da soja para o eucalipto temos uma super produção, porque durante a soja, a população de abelhas cresce muito”, conta, animado.  Esse volume é muito maior que a média brasileira, de 19 kg de mel, por caixa, em um ano.

Foto: Aldo dos Santos/Arquivo Pessoal

O pesquisador da Embrapa diz, ainda, que a qualidade do mel da soja é superior, aromático e não cristaliza, mesmo em baixas temperaturas. “Isso é muito importante para a indústria, porque ela não precisa gastar em processos para evitar que cristalize. Então está com ótima aceitação. A indústria já está comprando agora o mel que vai ser colhido em janeiro e fevereiro”, afirma Gazzoni.

PUBLICIDADE

União de abelhas e soja pode ser exemplo para outras culturas

Para o agricultor, o custo para adotar o sistema é praticamente zero, garante o pesquisador Décio Gazzoni. Isso porque aqueles que seguem fazendo o MIP, reduzem os custos com menos aplicações. Já o apicultor vai gastar para transportar as caixas. “Não gasta nem 10% do que vai colher em mel”, calcula.

Os resultados da pesquisa, agora, serão transformados em uma cartilha de Boas Práticas. A ideia é ter mais parceiros, como o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR), para que produtores possam ter acesso a treinamentos e cursos. 

“Não são apenas os apicultores e sojicultores que se beneficiam. Ao aumentar a produtividade da soja, ocorre também uma redução equivalente das emissões de gases de efeito estufa, beneficiando todo ambiente”, ressalta Gazzoni.

O gerente de Stewardship e Sustentabilidade da Divisão de Soluções para Agricultura da BASF, Maurício do Carmo Fernandes, reforça a importância da pesquisa para a biodiversidade. “É essencial encontrarmos maneiras efetivas d conservarmos os polinizadores, como as abelhas, não só para garantir a produtividade da agricultura, mas também mantermos o equilíbrio dos nossos ecossistemas naturais. É uma interação em que todos saem ganhando”, afirma.

Siga o Agro Estadão no Google News e fique bem informado sobre as notícias do campo.

PUBLICIDADE

Agro Estadão Newsletter

Newsletter

Acorde bem informado
com as notícias do campo

Agro Estadão Clima Agro Estadão Clima

Mapeamento completo das
condições do clima
para a sua região

Agro Estadão Clima
VER INDICADORES DO CLIMA

PUBLICIDADE

Notícias Relacionadas

Inovação

Embrapa prepara pedido de autorização para plantio de cannabis

Embrapa prepara pedido de autorização para plantio de cannabis

Solicitação deve ser protocolada na Anvisa no segundo semestre deste ano

Inovação

Embrapa desenvolve cultivar de trigo para o Cerrado voltada à confeitaria

Embrapa desenvolve cultivar de trigo para o Cerrado voltada à confeitaria

Entidade de pesquisa também deve lançar outras duas novas variedades, com resistência à brusone e maior produtividade

Inovação

Protocolo BRCana: tecnologia da Embrapa é considerada “a nova revolução” do setor sucroenergético

Protocolo BRCana: tecnologia da Embrapa é considerada “a nova revolução” do setor sucroenergético

Produtividade pode aumentar em 70% com o uso do protocolo BRCana, afirma pesquisador

Inovação

Soja Intacta: setor comemora uma década de tecnologia considerada revolucionária para aumento da produtividade

Soja Intacta: setor comemora uma década de tecnologia considerada revolucionária para aumento da produtividade

De acordo com a Bayer, Intacta RR2 PRO contribuiu para liderança brasileira no mercado da soja

PUBLICIDADE

“Busca Cacho” otimiza a colheita de açaí 

Equipamento “abraça” a palmeira e utiliza hastes ajustáveis para alcançar cachos de até 20 metros de altura

Plataforma reúne programa de fidelidade, vendas de produtos agropecuários e crédito rural

Multinacional aposta em ampliação nos meios digitais e quer trazer transações financeiras do offline para o online

Açaí: Pará investe em ações para driblar a sazonalidade da produção

Além da migração do cultivo de áreas de várzea para irrigadas, estado realiza intercâmbio tecnológico com a Colômbia

Empresa gaúcha lança óleo de noz-pecã 

Produto gourmet é inédito e desenvolvido após 20 anos de pesquisas; produção depende de maior disponibilidade do fruto

Logo Agro Estadão
Bom Dia Agro
X
Carregando...

Seu e-mail foi cadastrado!

Agora complete as informações para personalizar sua newsletter e recebê-la também em seu Whatsapp

Sua função
Tipo de cultura

Bem-vindo (a) ao Bom dia, Agro!

Tudo certo. Estamos preparados para oferecer uma experiência ainda mais personalizada e relevante para você.

Mantenha-se conectado!

Fique atento ao seu e-mail e Whatsapp para atualizações. Estamos ansiosos para ser parte do seu dia a dia no campo!

Enviamos um e-mail de boas-vindas para você! Se não o encontrar na sua caixa de entrada, por favor, verifique a pasta de Spam (lixo eletrônico) e marque a mensagem como ‘Não é spam” para garantir que você receberá os próximos e-mails corretamente.