AJUDA AO RS

Entidades do agronegócio fazem campanhas para ajudar o povo gaúcho. Saiba como participar!

Cotações

Soja e milho: terça-feira começa com altas em Chicago

Oleaginosa teve segunda-feira de valorização, que deve se manter devido a busca de países asiáticos

1 minuto de leitura

02/07/2024 | 10:40

Por: Rafael Bruno

soja e milho
Foto: Adobe Stock

Na manhã desta terça-feira, a soja iniciou o dia dando sequência ao movimento de alta em Chicago, com o contrato para novembro negociado a US$11,12 por bushel, alta de 0,81%. De acordo com Eduardo Vanin, da Agrinvest Commodities, o que tem sustentado a oleaginosa são as cotações dos óleos. 

Nesta segunda-feira, 01, o subproduto da soja encerrou o dia com uma valorização superior a 4%, negociado a 45,75 centavos de dólar. Vanin destaca ainda que as influências de demais óleos vegetais, assim como o produto derivado da soja, há valorização na China para o óleo de palma, que também segue em alta na Malásia, segundo maior exportador mundial do produto, atrás da Indonésia. A produção nestes dois últimos países está menor devido a condições climáticas.

Para os próximos dias, segue no radar a estabilidade dos preços diante da percepção de que a demanda chinesa pela soja e derivados poderá melhorar no curto prazo, conforme avaliação da Safras & Mercado. Além disso, o país asiático poderá adiantar compras devido ao favoritismo de Donald Trump na corrida eleitoral nos EUA.

Milho: momento é de cautela

Também em alta na manhã desta terça-feira, o milho abriu Chicago com valorização de 0,59% a US$4,23 por bushel. Na segunda-feira, o grão teve um dia volátil em Chicago após o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) divulgar que as inspeções de exportação de milho norte-americano chegaram a 819.577 toneladas na semana passada, encerrada em 27 de junho. O montante é inferior em comparação ao registrado na semana anterior (1.152.950).

Também nesta segunda-feira o USDA reduziu o percentual de lavouras de milho dos EUA em boas e excelentes condições de 69% para 67%. Conforme análise do mercado, o tom é de cautela para negociações do grão, com agentes monitorando os movimentos de queda dos futuros na CBOT.

Bom Dia Agro
X
Carregando...

Agora complete as informações para personalizar sua newsletter e recebê-la também em seu Whatsapp

Sua função
Tipo de cultura

Tudo certo. Estamos preparados para oferecer uma experiência ainda mais personalizada e relevante para você.

Fique atento ao seu e-mail e Whatsapp para atualizações. Estamos ansiosos para ser parte do seu dia a dia no campo!

Enviamos um e-mail de boas-vindas para você! Se não o encontrar na sua caixa de entrada, por favor, verifique a pasta de Spam (lixo eletrônico) e marque a mensagem como ‘Não é spam” para garantir que você receberá os próximos e-mails corretamente.

Mais lidas de Cotações

1

Dólar cotado a R$ 5,51 acende alerta no agro

Dólar cotado a R$ 5,51 acende alerta no agro
2

Cepea: preço do leite sobe pelo 6º mês seguido e confirma tendência de alta

Cepea: preço do leite sobe pelo 6º mês seguido e confirma tendência de alta
3

Soja e derivados seguem sob pressão em Chicago diante da melhora das lavouras

Soja e derivados seguem sob pressão em Chicago diante da melhora das lavouras
4

Citrus: alta nos preços da laranja persiste, apesar de queda na demanda

Citrus: alta nos preços da laranja persiste, apesar de queda na demanda
5

Açúcar e etanol: alta do dólar eleva preços no mercado interno

Açúcar e etanol: alta do dólar eleva preços no mercado interno
6

Soja/Cepea: demanda firme e alta do dólar aquecem negociações

Soja/Cepea: demanda firme e alta do dólar aquecem negociações

Mapeamento completo das condições do clima para a sua região

Notícias relacionadas